Audi

 

“Vorsprung durch Technik”. Traduzindo: Advancement Through Technology. Traduzindo melhor: AUDI. Ou melhor, o seu verdadeiro DNA. A montadora alemã, antes de vender automóveis, vende tecnologia, designer, performance e conforto para satisfazer seus mais exigentes consumidores.
A história
Poucas empresas no mundo têm uma história tão rica e complexa como a Audi AG. É quase um século de fusões, dissociações e visão de futuro. A rivalidade franco-germânica criada após a guerra entre os dois países no fim do século XIX, quando a França teve que indenizar a Alemanha em cerca de cinco bilhões de marcos, ajudou a incentivar o desenvolvimento dos veículos alemães no início do século XX. Aproveitando o boom econômico pelo qual a Alemanha estava passando, quatro empresas com origens distintas (Wanderer, Horch, DKW e Audi) direcionaram suas produções para veículos automotivos. Anos mais tarde, elas se uniram para formar a Audi AG. Para entender essa história é preciso saber quem foram essas quatro empresas.
AUDI – Foi fundada no dia 16 de julho de 1909 por August Horch. Inicialmente foi registrada sob o nome August HORCH Automobilewerke Gmbh na cidade de Zwickau na Alemanha. Em 10 de abril de 1910 passou a chamar Audi Werke Gmbh. Três meses depois saía o primeiro AUDI da fábrica de Zwickau. Em 1921 mostra pela primeira vez um veículo de passeio alemão de série com direção no lado esquerdo.
DKW – Em 1904 foi fundada a Companhia Rasmussen & Ernst na cidade de Chemnitz para fabricar armaduras de vapor de escape. Em 1916 ocorreram as primeiras experiências com veículos a vapor. No ano seguinte iniciou a construção do motor de dois tempos e 25cc. Em 1928 a empresa era a maior fábrica de motocicletas do mundo e começava a produção de automóveis DKW. A criação de uma rede de revendedores teve início em 1929.
HORCH – Em 1899 é fundada a August HORCH & Cia em 14 de novembro na cidade de Colônia. Em 1901 ocorreu a viagem de estréia com o primeiro modelo de construção própria. No ano de 1927 a fabricação era quase exclusivamente de modelos oito cilindros. No final dos anos 20 a HORCH torna-se conceito de qualidade.
WANDERER – No dia 26 de fevereiro de 1885 é fundada a Chemnitzer-Velociped-Depot Winklhofer & Jaenicke. Em 4 de janeiro de 1887 adota a denominação WANDERER para as bicicletas da empresa. Em 1902 começa a produzir motocicletas e somente em 1913 tem início a produção de automóveis.
A crise econômica que assolou o mundo no final dos anos 20, enfraqueceu as quatro empresas, que não tinham condições de sobreviver isoladamente. Sob o comando do Banco Estatal da Saxônia, no dia 29 de junho de 1932, as fábricas AUDI, Horsch, DKW e o departamento de automóveis da Wanderer fundiram-se formando a Auto Union AG, com sede na cidade de Chemnitz. Os anos seguintes foram marcados pelo crescimento da produção e o sucesso da marca no automobilismo. Sob o signo dos quatro anéis, logo se tornou o segundo maior grupo automobilístico da Alemanha. As “estrelas” da época eram seus carros de corrida de 16 cilindros e as limusines de luxo que imortalizaram o nome de August Horsch. O período de 1939 a 1945 marcou o capítulo mais difícil da empresa, que, como toda a indústria alemã, dedicou-se à produção de material bélico. A fabricação de carros foi interrompida em 1939. Depois da guerra, a empresa foi liquidada e desapareceu atrás da cortina de ferro em conseqüência da divisão e reforma monetária da Alemanha. Somente em 3 de setembro de 1949, nascia a nova Auto Union, com sede em Ingolstadt, que primeiramente ressuscitou a marca DKW. Em 1º janeiro de 1965, a Volkswagen AG toma posse de 50.3 % da Auto Union por 300 milhões de marcos. Em setembro foi lançado o primeiro automóvel com a marca AUDI, com motor de quatro cilindros e carroceria derivada do DKW F102. Seguiram-se novos modelos, inicialmente com a mesma carroceria, mas com motores de 75 cv (AUDI 75), 80 cv (AUDI 80), 90 cv (AUDI Super 90) e, a partir de 1968, também o AUDI 60 (55 cv). O sucesso desses carros foi tão surpreendente que, apesar de a Volkswagen ser contra, a direção da fábrica de Ingolstadt passou a desenvolver modelos próprios.


A exportação de carros para o enorme mercado americano começou em 1970, criando novas perspectivas de expansão para a montadora. A marca revolucionou a indústria automobilística em 1981, ao lançar um carro de série com tração permanente nas quatro rodas chamada QUATTRO. Derivado do cupê da série 80, o AUDI Quattro celebrizou-se em competição (vencendo inúmeros ralis em todo o mundo) e lançou uma tecnologia que muitas marcas vieram a adotar. Em outubro de 1983, a empresa estabeleceu a quattro GmbH, que cuidaria, dali em diante, de toda a parte esportiva e de desenvolvimento de veículos especiais para a marca, além de kits de personalização, o que a tornava praticamente uma divisão de “tuning” da fabricante alemã. Atualmente esta divisão, localizada em Neckarsulm, possui 418 empregados gerando um lucro de cerca de 260 milhões de euros. No final de 1985 é inaugurado o centro de qualidade da fábrica de Ingolstadt. Este centro reunia todos os departamentos de controle de qualidade. Em decorrência de uma reestruturação do grupo Volkswagen, a Audi NSU Auto Union AG foi rebatizada para Audi AG. Em novembro de 1989, alcança vendas recordes depois da queda do muro de Berlim e a subseqüente reunificação alemã. Em 1991 se torna cada vez mais independente da Volkswagen com a criação do departamento de marketing, anteriormente dirigido em conjunto com a Volkswagen.
No outono desse mesmo ano, a AUDI apresentou dois estudos sensacionais para carros esportivos: o Audi Quattro Spyder no Salão do Automóvel de Frankfurt e o Audi Avus Quattro no Salão do Automóvel de Tóquio. O uso consistente da utilização do alumínio na carroceria destes modelos preparou o caminho para a utilização do alumínio em grande escala nos modelos da marca. Por alguns anos, a AUDI trabalhou em parceria com a Companhia de Alumínio da América no desenvolvimento de um carro leve construído em alumínio. O resultado foi apresentado no Salão do Automóvel de Frankfurt em 1993: a tecnologia conhecida como Audi Space Frame – a utilização do alumínio combinado com outros elementos para tornar o carro, ao mesmo tempo, leve e resistente. Em março de 1994, a montadora apresentou seu novo modelo no segmento premium, o Audi A8, no Salão do Automóvel de Genebra. Este foi o primeiro modelo em produção com a carroceria construída totalmente em alumínio. Ao mesmo tempo, um novo sistema de nomenclatura para os carros entrou em vigor. O Audi 80 passou a ser conhecido com A4, o Audi 100 como A6. Eles foram seguidos em 1996 pelo Audi A3, seu primeiro representante no segmento de compactos premium. A produção do Audi A2, o primeiro monovolume construído em alumínio, começou em junho de 2000.
A linha do tempo
1986
● Lançamento do AUDI 80 com carroceria totalmente galvanizada e garantia de 10 anos contra corrosão.
1988
● Com o AUDI V8, a montadora dá o primeiro passo na classe prêmio de automóveis. Esse modelo reunia numerosas inovações técnicas como a tração permanente nas quatro rodas, a tecnologia de quatro válvulas e o câmbio eletrônico automático de quatro marchas.
● Ainda nesse ano é colocado o primeiro motor diesel de injeção direta num veículo de passeio de série no AUDI 80.
1989
● No outono europeu é apresentado na Feira Internacional do Automóvel de Frankfurt, o AUDI 100 com um motor TDI de 2,5 litros.
1991
● Lançamento do AUDI S4, a versão esportiva do modelo A4.
1993
● O AUDI A8 é apresentado na Feira Internacional do Automóvel com sua revolucionária estrutura de alumínio AUDI Space Frame ASF. Lançado na Europa no ano seguinte, somente em 1997 o modelo chegaria ao mercado americano.
1994
● Lançado o AUDI A6, um modelo familiar de médio-grande porte para competir com Mercedes-Benz Classe E, BMW Série 5, Alfa Romeo 166, Lexus GS e Volvo S80.
● O compacto executivo AUDI A4 é introduzido no mercado em substituição aos modelos 80 e 90.
1995
● Os modelos esportivos TT COUPÉTT ROADSTER são apresentados, e começam a ser produzidos em série a partir de 1998.
1996
● Introdução do AUDI A3, um hatchback médio de motor dianteiro transversal e tração dianteira ou integral, feito sobre a plataforma do VW Golf. É o modelo mais popular da marca alemã.
● A montadora apresenta a AUDI A4 AVANT, primeira perua da linha.
1999
● Derivado do carro conceitual AL2, o AUDI A2 é lançado no Salão do Automóvel de Frankfurt. Com estrutura de alumínio reciclável, traduz as preocupações da AUDI com a economia e o meio ambiente. O modelo teve sua produção interrompida em 2005.
● Lançamento do AUDI S3, modelo mais esportivo da série 3 da AUDI, tendo o visual quase idêntico ao A3, porém com equipado com motor mais potente e acessórios voltadas para um público que adorava pisar fundo no acelerador.
2000
● Lançado o AUDI ALLROAD QUATTRO, sendo o primeiro modelo off-road da montadora. Magnífico no asfalto era ao mesmo tempo capaz de enfrentar todo o tipo de terreno acidentado graças a sua suspensão a ar com regulagem automática de altura.
2001
● Introdução do AUDI RS4, uma versão superesportiva do AUDI A4.
2006
● O AUDI Q7, um utilitário esportivo de porte grande, com capacidade para até sete pessoas transportadas com muito conforto, produzido sobre a mesma plataforma do Volkswagen Touareg e do Porsche Cayenne é lançado no mercado. Desde 2002, quase cinco mil pessoas trabalharam no desenvolvimento do modelo, entre eles engenheiros, designers, matemáticos, físicos, químicos, mecânicos e especialistas em tecnologia virtual, crash test e túneis de vento, investindo tempo e inteligência no projeto apelidado internamente de AU 716. Em setembro já estava disponível a versão V12 TDI.
● O AUDI R8, um modelo superesportivo de dois lugares, foi apresentado no Salão do Automóvel de Frankfurt. O modelo era baseado no carro conceito AUDI Le Mans Quattro com poucas modificações. A enorme grade em forma de trapézio, identidade da marca, está bem integrada à frente, e, na traseira havia grades no mesmo estilo das entradas de ar frontais. O motor V8 de 4,2 litros e 420 cv fazia o carro acelerar de 0 à 100 km/h em 4,6 segundos. Sua produção está prevista para 2008.
● Lançado o AUDI S8, um carro com apelo esportivo aliado a um conforto supremo. Equipado com motor V10, é a versão esportiva do A8.
2007
● O AUDI A5, um cupê esportivo com designer extremamente moderno, será apresentado ainda este ano com lançamento previsto para breve. Estará disponível também na versão conversível.
2008
● Lançamento do AUDI Q5 com um sistema Quattro de tração integral aperfeiçoado, poderosos motores a gasolina (quatro e seis cilindros com injeção direta de gasolina, FSI, e o 4,2-litro V8 na versão S) e a diesel (2-litros e 3-litros V6 TDI), prontos para caber em uma plataforma remodelada do A4, já utilizada pelo Audi A5. Ao contrário do Q7, o modelo não tem uma terceira fileira de bancos, o que o mantém como um carro para apenas cinco ocupantes. Apesar de batizado como utilitário esportivo pela AUDI, o Q5 é um crossover. Isso porque tem aspecto mais urbano, praticamente um A3 com ar aventureiro.
Lançamento do AUDI TTS, versão ainda mais potente e esportiva do já agressivo modelo TT. As entradas de ar mais amplas, nas laterais do bocão típico da dianteira dos AUDI, só podem significar uma coisa: ali está um TT com mais fome de asfalto. O motor TFSI de quatro cilindros, 2 litros e 272 cv, conta com injeção direta e turbo. Ele leva o TTS Coupe de 0 a 100 km/h em 5.4 segundos e, por interferência da eletrônica, a até 250 km/h. O TTS conversível também está disponível e acelera do nada até os mesmos 100 km/h em 5.6 segundos. Uma curiosidade é a confecção da carroceria, nos princípios do Audi Space Frame (ASF), que a marca alemã desenvolve desde os anos 90. A traseira é de aço, enquanto o centro e a frente do carro são de alumínio, o que ajuda na distribuição do peso.
O logotipo
O famoso logo das quatro argolas surgiu em 1932 e representa a fusão de quatro montadoras independentes: AUDIDKWHORCHWANDERER. Juntas, com a marca NSU, incorporada em 1969, formaram a Audi AG que conhecemos hoje. O nome AUDI – e os dois primeiros anéis – originou-se de uma briga. Em 1899, August Horsch, um dos grandes pioneiros da indústria automobilística alemã, fundara em Colônia na Saxônia a empresa Horsch. Devido a dificuldades financeiras e desentendimentos internos, ele abandonou a empresa em 1909 e abriu uma nova fábrica de automóveis. Como estava proibido de usar o nome Horsch, traduziu-o para o latim AUDI (que significa ouça!).


Como parte das comemorações de 100 anos da marca, em 2009, a AUDI resolveu atualizar seu logotipo. Os famosos “quatro anéis” continuam, mas com um efeito cromado, deixando o logotipo mais tridimensional e com mais textura que o anterior. O nome da empresa foi movido para a esquerda e escrito com uma nova fonte.


O quartel-general
A sede mundial (headquarters) da montadora alemã AUDI, desde 1949, está localizada na cidade de Ingolstadt, cerca de 85km de Munique. A moderna fábrica tem capacidade para produzir mais de 500 mil automóveis por ano dos modelos A3, A4, A4 Avant, S4, TT Coupé, TT Roadster, empregando mais de 30 mil funcionários de 72 nacionalidades diferentes. No enorme complexo, com área total de 1.810.000 m², além da sede, a montadora mantém um museu (inaugurado em 1999), chamado AUDI FORUM, que traz uma exposição de 80 carros da marca baseada em seu lema clássico: “Na vanguarda da tecnologia”. Na galeria, tudo é apresentado em movimento: as paredes se deslocam e os carros estão dispostos em elevadores. Um dos destaques é a exposição dos modelos DKW, que já circularam pelas ruas brasileiras na década de 50. Nesta exposição, as diferentes épocas são ilustradas com textos e fotos sobre automóveis, tecnologia e sociedade. Outra atração do museu proporciona aos visitantes poderem ver uma linha de produção ao vivo e acompanhar a instalação de 12 mil componentes do carro, incluindo o motor. Além disso, o turista ainda pode usufruir de restaurantes, bares, lojas de vinhos e uma série de eventos, tais como concertos musicais e cinema.


Os slogans
O slogan “Vorsprung durch Technik” (Advancement Through Technology ou em português Na Vanguarda da Tecnologia), introduzido em 1984 e criado pela agência de publicidade BBH, é provavelmente o mais famoso entre o segmento de automóveis. Porém a montadora alemã utilizou outros slogans criativos como “Keeping ahead through technology”“Everyone dreams of an Audi”, “Following your own rules“ (AUDI A6) e “It’s a miracle but we’ve made it”(Quattro). Em 1998 o modelo TT foi introduzido no mercado com o slogan“Driven by Instinct”.


Dados corporativos
● Origem: Alemanha
● Fundação: 1909
● Fundador: August Horch
● Sede mundial: Ingolstadt, Bavaria
● Proprietário da marca: Volkswagen
● Capital aberto: Sim
● Chairman & CEO: Rupert Stadler
● Faturamento: €34.19 bilhões (2008)
● Lucro: €2.77 bilhões (2008)
● Valor de mercado: €17.7 bilhões (setembro/2009)
● Valor da marca: US$ 5.01 bilhões (2009)
● Fábricas: 6
● Presença global: + 100 países
● Presença no Brasil: Sim (18 concessionárias)
● Funcionários: 53.347
● Vendas globais: 1.003.469 unidades (2008)
● Segmento: Automóveis esportivos
● Principais produtos: A3, A4, A6, A8, S4 e TT
● Ícones: As 4 argolas de seu logotipo
● Slogan: Vorsprung durch Technik.
● Website: www.audi.com

O valor
Segundo a consultoria britânica Interbrand, somente a marca AUDI está avaliada em US$ 5.01 bilhões, ocupando a posição de número 65 no ranking das marcas mais valiosas do mundo.

A marca no Brasil
A história da AUDI no Brasil começou em 18 de novembro de 1993, quando o tricampeão mundial de Fórmula 1, Ayrton Senna, oficializa em Ingolstadt, na Alemanha, o acordo operacional entre a Senna Import e a AUDI AG, dando início, em março do ano seguinte, à importação e venda dos carros AUDI no Brasil. Tratava-se de um grande desafio, pois, apesar de responsável por inúmeros avanços na história do automóvel, a AUDI ainda era uma marca desconhecida no mercado brasileiro. A chegada do primeiro carro, em março de 1994, foi um show. Com tudo mostrado ao vivo em um telão, sai um Audi 80 Cabriolet de um avião cargueiro que aterrissa em Congonhas. Conduzido pelo apresentador Jô Soares, a máquina faz o percurso até um palco onde era esperada pelo tricampeão mundial de F-1 Senna, ao som do “Tema da Vitória”, melodia da bandeirada do piloto nas pistas. A estratégia de marketing adotada ali já dava o tom do que seriam as outras campanhas.


Em pouco tempo, porém, os carros se tornaram objeto de desejo dos brasileiros. Não era para menos. Através de uma revolucionária linha de modelos, a marca se tornou sinônimo de tecnologia e modernidade, passando a liderar no país o segmento dos carros de luxo. Em 1995, pela primeira vez no país, a AUDI realiza, ao vivo, um crash test, no Sambódromo do Anhembi. Na frente das câmeras e de mil convidados especialmente para o inédito evento, a montadora testa a segurança do Audi A6, que havia sido eleito o importado mais seguro do mercado norte-americano. O carro simula um acidente ao bater de frente contra um contêiner. Na época, a marca assumiu a liderança do setor de luxo com 3.072 unidades vendidas. No ano seguinte, o modelo A3 foi lançado no salão desfilando ao lado de belas mulheres. Depois do sucesso do Audi Fashion, o compacto da marca começa a ser vendido no país.


Em 1998, chega o TT. O modelo esportivo aparece carregado por um helicóptero e aterrissa no Sambódromo. No mesmo ano, a montadora, em parceria com a Volkswagen, anuncia a fabricação do A3 em território nacional. A fábrica começa a operar em São José dos Pinhais, Paraná, em 1999. A montadora compra 51% da Senna Import, que detinha todos os direitos da marca no Brasil. A joint venture dá origem à Audi Senna em 2000. Além disso, em 1995, nascia a AUDI Magazine, sendo a única marca de automóvel no país a brindar regularmente seu público com uma luxuosa revista de informação e entretenimento, que hoje conta com uma tiragem de 80.000 exemplares. Hoje, através de uma rede composta por 18 concessionários, as vendas superam a marca de 10 mil unidades por ano.


A marca no mundo
A montadora AUDI está presente em mais de 100 países ao redor do mundo, vendendo mais de 1 milhão de carros anualmente. Hoje tem fábricas na Alemanha (Ingolstadt e Neckarsulm), Hungria, Brasil, China e Bélgica, com um total de 53 mil empregados.

Você sabia?
● O sistema de som do AUDI S8, desenvolvido exclusivamente pela renomada marca dinamarquesa Bang & Olufsen, que incorpora 14 alto-falantes e mais de 1.000 watts de potência, foi eleito recentemente o melhor do mundo.

Deixe um comentário

Nenhum comentário ainda.

Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Agenda

    • dezembro 2016
      S T Q Q S S D
      « nov    
       1234
      567891011
      12131415161718
      19202122232425
      262728293031  
  • Pesquisar